terça-feira, 15 de novembro de 2011

Neurotransmissores + Receptores Cerebrais e a possível descoberta de novos medicamentos contra o Mal de Alzheimer


A fim de descobrir novos caminhos promissores para a cura do Mal de Alzheimer, estudantes e cientistas da Universidade de Buffalo (Estados Unidos) desenvolveram estudos em que neurotransmissores e receptores cerebrais ganharam grande destaque na busca de medicamentos capazes de trazer a cura da doença. Os resultados da pesquisa estão descritos a seguir.

Os dois receptores enfatizados no estudo foram o NMDA (N-metil-D-asparato) e o AMPA (Alpha-amino-3-hidroxy-5-metil-4-isoxalepropionic acid), visto que eles estão inteiramente associados a funções como o aprendizado e também atuam na memória dos indivíduos. Estes receptores trabalham em conjunto com o neurotransmissor glutamato, que possui uma participação significativa quanto as doenças neurodegenerativas e também quanto a outras patologias como o glaucoma.

Também já era de conhecimento do grupo de pesquisadores que o excesso de cálcio pode levar a morte dos neurônios e, por meio de tal trabalho, foi possível que se tivesse uma redução significativa de tal mineral por maio da diminuição da atividade do NMDA, que entra no processo em resposta ao glutamato. Em outras palavras, se a atividade do NMDA é controlada, haverá uma menor entrada de cálcio nas células neuronais, diminuindo a ocorrência do Mal de Alzheimer.

A principal autora da pesquisa Gabriela Popescu declara: “É a primeira vez que essa região do cérebro se mostrou útil como um alvo de drogas. Se pudermos encontrar um composto químico que se ligue nessa região e prenda as subunidades dos receptores NMDA, o resultado será muito importante na busca de alternativas de tratamentos para danos provocados por acidentes vasculares cerebrais (AVC), Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas”.

Já existe hoje um medicamento conhecido como Namenda que atua no NMDA, no entanto, este grupo de pesquisadores estuda um novo alvo dentro deste próprio receptor. Eles acreditam que desenvolver drogas que atuem em um local distinto da droga Namenda possam vir a ser mais eficientes.

Vale ressaltar que o excesso de cálcio nos neurônios, causadores da morte de tais células, nada tem a ver com o cálcio ingerido por meio das refeições, método este tão recomendado pelos especialistas para que haja uma boa formação dos ossos, por exemplo.



FONTES BIBLIOGRÁFICAS:

http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol32/n3/137.html

http://www.sumanasinc.com/webcontent/animations/content/

receptors.html

http://www.sjtresidencia.com.br/invivo/?p=46884

http://www.google.com.br/imgres?q=neurotransmissores&um=1&hl=pt-BR&sa=N&biw=1024&bih=653&tbm=isch&tbnid=5WoEACCv3HccsM:&imgrefurl=http://www.infoescola.com/neurologia/neurotransmissores/&docid=5j5hGyjPKseELM&imgurl=http://static.infoescola.com/wp-content/uploads/2011/04/Neurotransmissores.gif&w=270&h=270&ei=-RTDTqCfLozp0QHc4KTjDg&zoom=1&iact=rc&dur=546&sig=110493786008225170599&page=1&tbnh=133&tbnw=148&start=0&ndsp=15&ved=1t:429,r:1,s:0&tx=98&ty=66

http://www.dicyt.com/noticia/excesso-de-calcio-e-uma-das-chaves-da-morte-de-neuronios-propria-do-alzheimer



Nenhum comentário:

Postar um comentário